quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Carta para o Século 21

Documento assinado pelos professores reunidos no Fórum de Ciência e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro, durante o Seminário Imagem, Educação e Cultura, em abril de 1998.
Considerando que a cultura audiovisual (fragmentada, multifacetada, polissêmica) se opõe à cultura escolar;
considerando que a televisão é onipresente no mundo inteiro e que essa presença ocupa na vida das crianças lugar preponderante;
considerando que a televisão expõe as crianças a temas e comportamentos que os adultos, durante séculos, se esforçaram para ocultar delas;
considerando que está havendo um novo modelo de socialização, em que a figura paterna não é mais modelo de conduta para as crianças;
considerando que a escola não é mais o único lugar legítimo do saber e que o livro não é mais o centro que articula a cultura;
considerando a necessidade de valorização do professor como condição básica para a atualização e a real melhoria da instituição escolar,

os professores reunidos no Fórum de Ciência e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro, durante o Seminário Imagem, Educação e Cultura, em abril de 1998, recomendam:
que se priorizem as pesquisas centradas na recepção à TV, nos diferentes grupo0s etários e sociais;
que se intensifiquem as ações dirigidas ao receptor, visando à formação do telespectador - a “alfabetização para a mídia” - e do professor;
que se promova uma mobilização social objetivando a exigência de maior qualidade na produção televisiva oferecida pelos meios de radiodifusão;
que se desenvolvam programas e projetos voltados para a formação do professor e do comunicador, numa perspectiva de educação para a imagem e para a mídia;
que nessa atividade de formação seja levada em conta a nova relação professor-aluno, em que o professor deixa de ser o único portador do saber legítimo e passa a ser um instigador-provocador-guia das formas próprias de construção do conhecimento, bem como um descobridor e incentivador das habilidades específicas dos alunos;
que os educadores trabalhem as novas “linguagens audiovisuais” como linguagens pedagógicas, admitindo que são tão legítimas quanto a linguagem escrita;
que o uso da televisão não seja apenas um recurso didático complementar;
que os educadores aprendam a lidar com as novas formas de aprender e de se comportar geradas pelas “linguagens audiovisuais”, assumindo a produção do saber escolar com e a partir dessas linguagens;
que todos os que se preocupam com educação assumam o desafio cultural de formar jovens aprendendo a lidar com as novas formas de sociabilidade geradas pelo contato intensivo e extenso com as linguagens audiovisuais e com as mídias.BRASIL(1999, p. 109/110)

BRASIL. Ministério da Educação(MEC), Secretaria de Educação a distância (SEED). Mediatamente! Televisão, cultura e educação. Brasília. Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação a distância(SEED). 1999.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010


Brinquedos da memória: o melhor da infância

Por Daniel Pinto Gomes* aos 27 anos

No primeiro dia a brincadeira: nascido em Fortaleza no dia 31 de dezembro de 1982 fui registrado natural de Sobral nascido em 01 de janeiro de 1983, sobre a confusão dos fatos, passo a lembrar-me de quando morávamos, eu, minha mãe e minha avó no edifício São Pedro, ou no castelo de Grayscow da Rua Ararius na Praia de Iracema. Era assim como chamávamos aquele prédio histórico tombado pelo município. As competições de comilança nas festas de aniversário, as desventuras e maus assombros naquele labirinto vertical, os pregos de elevador, as quedas pelas escadas em pega-pegas malucos, os esconderijos secretos e a literal quebra de vidraças.
Apertando campainha e saindo correndo; vi primos maiores jogando ovo em ônibus, fumando escondido; pregávamos peça sobre o grande Spartacus, puxávamos cabelos uns dos outros e refazíamos amizades. Tive fobia de ficar aprisionado entre porta e parede pelos primos mais velhos; brinquei de gato mia, de teatro e ali ganhei meu primeiro futebol de prego, depois construí vários outros.
Vi eclipse lunar nas escadarias da igreja. Falou-me os antigos de lobisomem, loura do banheiro, vi queimarem o Judas e montarem seu testamento, me apaixonei pelas mulheres mais velhas e tive medo da figura que era o Bobó. No Aterrinho da nossa atual prefeita, quebrei vidro de pipoqueiro desenvolvendo minhas lambanças no futebol, andei de bicicleta, brinquei de corrida de tampinha. Num clima de mistério cavávamos buraco pros outros cair. Dei mergulhos no mar do Espigão, de lá também, com minha mãe assisti uma competição de BodyBoard durante uma noite em que haviam grandes refletores clareando toda a praia.
Por aquelas épocas fui à Quixadá, lá, na “casa” do tio Douglas, eu brinquei com sapo, escutei os grilos, mergulhei em açude, deslizei pelas valas de lama na chuva. Lá me falaram de saci, da caipora, vi o bumba-meu-boi, a Galinha choca, brinquei de esconde-esconde nos currais, vi a brincadeira do pau cagado, conheci Tamarindo e tive medo do Valdo.
Na “casa” da tia Kátia e do tio Ivan, em Sobral, brinquei de bila e andei de bicicleta pela pracinha do quartel, lá também brinquei de Jô atrepa e paquerei com as meninas da minha idade, isso lá pelos doze treze anos. Quando mais pequeno, no chão de terra fizemos o enterro de um pinto, perambulei pelo mercado e fizeram-me medo do “véi” do saco. Também tomei banho no Buraco da “Véa”, na serra da Meruoca.
Viajei para o Crato na carroceria da D-20 do Tio Odécio, a diversão era cuspir pra cima e com certeza nos melamos. Durante a noite a viajem ficou bastante fria, mas o céu extremamente estrelado. Ainda, lembro-me que aprendi a fazer bola de meia vendo o trabalho do Tio Marcus.
Em Fortaleza, fomos morar no Álvaro Wayne quando uns 10 anos, larguei a mamadeira daí conheci outra “rua”, desta vez horizontal, ali brinquei de correr pelos telhados, de guerra de chiploc, de sardinha, de pular macaca, de futebol de botão, de chinela, de bola d’água, de esconde-esconde, de banco imobiliário, de castanha, de vôlei, de cruzamento, de cascudim, de soltar raia e correr atrás delas. Arranquei cabeça do dedo jogando bola na rua, criei peixes, pássaros e soldadinhos; assisti perplexo o assassinato de pássaros cometidos pelo Pito bom de mira na baladera; divulgamos a perna cabeluda, comíamos castanholas e quebrávamos as luzes dos postes.
Já adolescente roubei e colecionei cabeças de pito de ferro, de plástico, de pressão, de Scania e de tirar válvulas; também colecionei latas, num instante em que se exauria uma espécie de cultura de consumo. Mas, tomei muito banho de bica na chuva e desmontei e montei bicicleta várias vezes; não mexia somente em catraca. Fui aos jogos do Fortaleza, pulei na TUF; criávamos QG em casas abandonadas, brincávamos de gangue e saíamos pra pichar muro.
Enfim, relembrar esses momentos divertidos da infância é fazer uma espécie de passeio ao passado, que nos traz elementos de questionamento sobre o presente e o futuro de nossa vida. Estes trechos de memórias lúdicas permitem ainda algumas reflexões sobre os jogos infantis e a cultura lúdica, assim, poderia, para isto, atermo-nos sobre o impacto do avanço da tecnologia, sobre o processo de mudança das rotinas ocasionado pela violência, pelo trabalho, pelo acelerado processo de urbanização e pela massificada comercialização que provisoriamente assolam o tempo e espaço de lazer na contemporaneidade.

*Graduado em Educação Física (UECE), Especializando em Cultura folclórica aplicada (IFCE) e mestrando em Educação brasileira (UFC). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE - Campi Quixadá) atuando nas seguintes áreas: Lazer, Cultura e Educação Física. danielpintogomes@hotmail.com

sábado, 4 de dezembro de 2010

A VERDADE SOBRE A OPERAÇÃO PODIUM

Recebi um e-mail, que aqui reproduzo em sua íntegra, Refere-se à "operação pódium" envolvendo várias empresas do Ceará, São Paulo, Rio de Jneiro e Paraná no anos de 2005 a 2008 envolvendo saques e movimentação de valores muito elevados nestes anos, o famos caixa dois, em espécie envolvendo 32 mandados de busca e apreenção, (Contra quem?)em Fortaleza 20 empresas foram vistoriadas e tiveram seus materiais apreendidos(Que empresas?), & pessoas foram presas no Ceará(Quem?), Só aparece o nome da Federação Cearense de Automobilismo que movimentou cerca de R$ 50 milhões, dos quais R$ 15 teriam sido enviados ilegalmente para o exterior. Onde estão os demais? Quem são?

Ao mesmo tempo que socializo esta notícia peço que quem possuir mais informações nos repasse para que possamos esclarecer a comunidade sobre este evento tão nojento.
Segundo o sítio da Veja foi preso, na operação, pela Polícia Federal Armando Campos, cunhado de Cesar Asfor Rocha, ex-presidente do STJ e um dos candidatos mais fortes a ministro do Supremo. Armando é casado com Silvia, irmã de Asfor Rocha.
Veja também comentário em outros blogs.
Na última quinta-feira, dia 25/11/10, a Polícia Federal desencadeou a “Operação Podium”, onde cumpriu mandados de busca e apreensão, além de prisão no Ceará, São Paulo e Rio de Janeiro. A ação se deu em virtude de investigações realizadas entre 2005 e 2008 sobre lavagem de dinheiro, fraude, evasão de divisas, crime contra o sistema financeiro, corrupção ativa, passiva e sonegação fiscal. Segundo as investigações da PF o esquema funcionava na Federação Cearense de Automobilismo e movimentou cerca de R$ 50 milhões, dos quais R$ 15 teriam sido enviados ilegalmente para o exterior. Nove pessoas foram presas, diversos computadores apreendidos.

A notícia foi destaque, claro, na imprensa cearense nas edições do dia 26/11/10. Nos dias seguintes nenhuma linha mais sobre o caso, em todos os jornais.

As matérias veiculadas pelos telejornais locais também traziam as mesmas, digamos, informações: a prisão de envolvidos, apreensão de computadores, como o esquema agia, etc. mas em nenhum dos casos – Imprensa escrita e imprensa televisiva - nada foi dito sobre os presos, empresas envolvidas, etc. Mais um triste episódio da maneira omissa, hipócrita, covarde, desidiosa, irresponsável, descompromissada e não profissional como a imprensa cearense se porta. Na coletiva convocada pela PF não foi citado pela Instituição nenhum nome de preso ou de empresa, mas a mídia, convenientemente, resolveu apegar-se apenas às informações oficiais para pautar seu trabalho. Não é a mesma forma, entretanto, que agem quando envolvem bandidos “pés de chinelo”, sendo amplamente divulgados nomes e imagens.

Foi necessário que a imprensa de fora do Estado fizesse o trabalho que deveria ser feito, primordialmente ou também, pela imprensa cearense. E ficaram evidentes os motivos pelos quais ocorreu essa “omissão”. Entre as empresas envolvidas estão a Newland e a Marquise. A Newland, cujo proprietário é Luiz Teixeira de Carvalho, é uma concessionária Toyota, sediada em Fortaleza com duas lojas, com filiais em Juazeiro do Norte, Teresina e Brasília. A empresa é a mesma que foi, digamos, “aquinhoada” com o fornecimento das Hilux para as patamos do Ronda do Quarteirão, sem licitação, pelo Governo do Estado. Foi agraciada com isso com mais de R$ 170 milhões do contribuinte, sem fazer esforço.

Outra das empresas envolvidas é o Grupo Marquise, conglomerado cearense presente em dezessete estados, que atua no ramo da construção civil – construtora Marquise –, hotelaria – Gran Marquise Hotel –, recolhimento de lixo – Fortaleza (Ecofor), Aquiraz, Caucaia, São Paulo e Porto Velho/RO –, financeira – Múltipla Financeira no Ceará e em São Paulo – e comunicação – TV Tambaú, retransmissora do SBT na Paraíba e Rádio Tambaú FM, naquele Estado –. O conglomerado é controlado por José Carlos Ponte (presidente, à esquerda) e Erivaldo Arrais (presidente de operações, à direita). Ambos são habitués de colunas sociais, também são grandes anunciantes da mídia local e doadores de recursos para campanhas políticas.

Não é difícil imaginar o motivo pelo qual o nome das duas empresas foi omitido das matérias jornalísticas veiculadas. O interesse corporativo se sobrepôs ao mister jornalístico. Mais fácil e cômodo dizer que por “segredo de Justiça” os nomes de pessoas e empresas envolvidas não foram divulgados. Dentre os presos estão o presidente da Federação Cearense de Automobilismo, Haroldo Scipião Borges; o piloto Hybernon Cysne e Armando Campos, cunhado do ministro do Superior Tribunal de Justiça, César Asfor Rocha, que está em campanha por uma vaga no Supremo Tribunal Federal. Asfor, que presidiu o STJ até setembro do corrente ano, é figurinha também carimbada nas colunas – sociais ou não –, onde puxadores de saco o incensam. Foi o primeiro cearense a presidir o STJ. Também não é difícil entender o motivo pelo qual a mídia omitiu o nome do cunhado do ministro.

Foi necessário que a imprensa de outros estados divulgasse nome de empresas e presos, porque a cearense preferiu omitir-se, calar-se covardemente. A valentia da imprensa cearense vai somente até a posição social de envolvidos em ilícitos. Quando o caso envolve gente simples, sem instrução ou com condição social baixa logo há a divulgação do nome, imagem, escárnio. Entretanto, quando se trata de gente bem posicionada e que possui dinheiro para influir – a ponto de ser incluído em relação de cearenses mais influentes – fica todo mundo pianinho, mudo, surdo e cego. O processo está correndo na 11ª Vara Federal. Evidentemente com o batalhão de advogados que possuem – dentre eles ex-presidentes da OAB – os acusados logo estarão em liberdade. Receberão solidariedade dos habitués borra-botas, posarão de vítimas e continuarão figurinhas fáceis nas colunas e eventos sociais. Hipócrita, como hipócrita, omissa e provinciana é o high society e a imprensa cearense.

Existe um axioma segundo o qual “por trás de uma grande fortuna há sempre um grande crime”. Infelizmente no Brasil as grandes fortunas, os grandes negócios encobrem ações ilícitas que desaguaram na acumulação do dinheiro. Tudo com uma fonte em comum: a corrupção de agentes públicos. Afinal, nosso País é capitalista quanto à acumulação de dinheiro, mas socialista na divisão dos prejuízos.
A relação permissiva e omissa do aparelho policial com a mídia também é contribuinte para esse ciclo vicioso. Apresentadores, repórteres e policiais fazem um escambo: trocam a promoção pessoal, de um lado para galgar patentes e postos melhores, do outro trampolim para obtenção de vantagens pessoais, como mandatos eletivos e outros “privilégios” menores. São abutres que militam nos programas policiais de TV, rádio, jornais que não estão preocupados em cumprir o mister jornalístico ou na discussão dos problemas e das soluções dos problemas de segurança, mas na manutenção do caos. Afinal, se a Polícia fosse eficiente e a criminalidade diminuída a níveis mínimos, o que esse bando iria fazer?

A imprensa também se omite no questionamento dos que defendem a descriminalização da maconha e a defesa dos direitos humanos.
(Veja o que se tem no Joranl O POVO_01 e
O POVO_02 Detalhe meu)
A forma como o crime não se sustenta sem a omissão da imprensa e dos agentes públicos foi bem descrita pelo relator da CPI dos grupos de extermínio, ex-deputado Paulo Duarte, quando afirmou não saber se containeres discriminados como contendo camarão e/ou lagosta foram exportados sem que fossem fiscalizados pela Cia. Docas por força de liminar. A imprensa em geral nada disse a respeito da liminar. Um pequeno micro do macro cosmo que dá sustentação ao crime: bandidagem, advogados que servem ao crime, magistrados que prestam igual serviço, Estado que não recorre das decisões, tudo regado à corrupção. E uma imprensa que não investiga, não denuncia, não é isenta. Os containeres tanto podiam conter mariscos quanto drogas e armas.

Em Off IMPRENSA CEARENSE

Segundo a JusClip já estão em liberdade duas das sete pessoas presas, na semana passada, pela Polícia Federal durante a ´Operação Podium´, que investiga um esquema criminoso de pagamento de propinas, ´lavagem´ de dinheiro e remessa ilegal de divisas para o Exterior através de falsos patrocínios à Federação Cearense de Automobilismo (FCA).
Veja sobre o assunto, a notícia:
- No sitio da Receita Federal.
- No sitio da Veja.
- No sitio do Clipping de Notícias Jurídicas.
- No sitio do formadores de opinião. Aqui encontrei toda a narrativa que havia recebido por e-mailnum texto de Helio P. Leite num acesso que fiz em 04/12/2010
- PF prende executivo da Vila Harmonia por sonegação .Esta Vila fica em Araraquara - São Paulo e o homem preso teria 45 anos e eria empresário, e teria sido levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP).segundo o jornal o imparcial.
- No sítio do jornal o imparcial.
- No sítio do Estadão-esportes Aqui relata que nentre os envolvidos estâo um piloto eum cartola do automobilismo. Relata também que um dos advogados dos suspeitos presos, o Dr. Hélio Leitão, Teria dito que já havia pedido a soltura de seu cliente, o atual presidente da FCA, Haroldo Scipião Borges. "Ele não tem culpa de nada. É tudo legal e é uma prática comum entre as federações, até na Confederação Brasileira de Automobilismo, afirmou. Segundo o que aqui está publicado o piloto preso seria Hibernon Cisne. Nesta publicação relata ainda que dos R$ 50 milhões movimentados apenas de 1% a 3% ficava na federação cearense de automobilismo, e que cinco pessoas implicadas são cearenses, sendo uma do ramo da construção civil e outra de revenda de carros importados; uma paulista do ramo industrial e uma carioca da construção civil.
- No blog do donny silva Está postado o comentário Uma das empresas envolvidas nessa fraude chama-se Marquise, localizada em Fortaleza. O domo da marquise é uma amigão do ministro Asfor Rocha. visita feita em 04/12/2010

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Aluno quebra os braços e seis dentes de professora de quase 60 anos no RS

Mais uma atrocidade acometida contra professor que a muito tornou-se uma profissão, além de insalubre, de grande risco. Desta vez aconteceu em Porto Alegre no Rio Grande do Sul nesta última terça-feira 9 de novembro, mas que só agora aconteceu a liberação das informações.

Uma professora de 57 anos de uma escola técnica em Porto Alegre (RS) teve os dois braços e seis dentes quebrados após ser espancada pelo aluno Rafael Ferreira, de 25 anos de idade do curso de enfermagem desta escola técnica ao irritar-se por ter tirado uma nota baixa fazendo uso de uma cadeira de ferro.

Os braços da professora foram atingidos no momento em que tentou se defender. A pedagoga foi agredida momentos depois de Rafael Ferreira discutir com a professora, quando ele foi à sala da orientadora educacional.A agresão teve continuidade mesmo após o desmaio da professora. O estudante, que é instrutor de artes marciais, desferiu socos e chutes, quebrando os dentes da educadora. E a agração só teve fim com a aproximação de duas outras professoras quando o aluno decidiu fugir.

O delegado Fernando Soares, que investiga o caso, disse que um segurança e o porteiro do prédio ainda tentaram deter o agressor, mas não conseguiram. Por esta ocasião um segurança teve a clavícula quebrada pelo estudante agressor que se apresentou à polícia nesta sexta-feira 12 de novembro de 2010 e prestou depoimento em Porto Alegre (RS) tentando esconder o rosto e negando as acusações.Mesmo assim, o delegado pediu a prisão preventiva do acusado.

Quando será que os profesores receberão, da sociedade, o respeito que lhe é merecido?

Veja os vídeos 1 e 2

Fonte: e Acesso 12/11/2010.

domingo, 7 de novembro de 2010

CURTAS

Calem a boca, nordestinos!

Recebi este desabafo e socializo com os amigos que, certamente podem externar suas posições relacionadas a este evento infeliz. Eis a íntegra:
Por José Barbosa Junior

A eleição de Dilma Rousseff trouxe à tona, entre muitas outras coisas, o que há de pior no Brasil em relação aos preconceitos. Sejam eles religiosos, partidários, regionais, foram lançados à luz de maneira violenta, sádica e contraditória.



(...)

Mas o que me motivou a escrever este texto foi a celeuma causada na internet, que extrapolou a rede mundial de computadores, pelas declarações da paulista, estudante de Direito, Mayara Petruso, alavancada por uma declaração no twitter: “Nordestino não é gente. Faça um favor a SP, mate um nordestino afogado!”.

Infelizmente, Mayara não foi a única. Vários outros “brasileiros” também passaram a agredir os nordestinos, revoltados com o resultado final das eleições, que elegeu a primeira mulher presidentE ou presidentA (sim, fui corrigido por muitos e convencido pelos “amigos” Houaiss e Aurélio) do nosso país.

E fiquei a pensar nas verdades ditas por estes jovens, tão emocionados em suas declarações contra os nordestinos. Eles têm razão!

Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste!

Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país?

Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a maravilhosa Rachel de Queiroz?

Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo?

Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos… pasmem… PAULISTAS!!!

E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano.

Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca” Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2.

Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura…

Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner…dentre tantos outros...

E Não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melodias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia…
Ah! Nordestinos…

Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura? E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros á força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país? Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo?

Um conselho, pobres nordestinos. Vocês deveriam aprender conosco, povo civilizado do sul e sudeste do Brasil. Nós, sim, temos coisas boas a lhes ensinar.

Por que não aprendem conosco os batidões do funk carioca? Deveriam aprender e ver as suas meninas dançarem até o chão, sendo carinhosamente chamadas de “cachorras”. Além disso, deveriam aprender também muito da poesia estética e musical de Tati Quebra-Barraco, Latino e Kelly Key. Sim, porque melhor que a asa branca bater asas e voar, é ter festa no apê e rolar bundalelê!

Por que não aprendem do pagode gostoso de Netinho de Paula? E ainda poderiam levar suas meninas para “um dia de princesa” (se não apanharem no caminho)! Ou então o rock melódico e poético de Supla! Vocês adorariam!!!

Mas se não quiserem, podemos pedir ao pessoal aqui do lado, do Mato Grosso do Sul, que lhes exporte o sertanejo universitário… coisa da melhor qualidade!

Ah! E sem falar numa coisa que vocês tem que aprender conosco, povo civilizado, branco e intelectualizado: explorar bem o trabalho infantil! Vocês não sabem, mas na verdade não está em jogo se é ou não trabalho infantil (isso pouco vale pra justiça), o que importa mesmo é o QUANTO esse trabalho infantil vai render. Ou vocês não perceberam ainda que suas crianças não podem trabalhar nas plantações, nas roças, etc. porque isso as afasta da escola e é um trabalho horroroso e sujo, mas na verdade, é porque ganha pouco. Bom mesmo é a menina deixar de estudar pra ser modelo e sustentar os pais, ou ser atriz mirim ou cantora e ter a sua vida totalmente modificada, mesmo que não tenha estrutura psicológica pra isso… mas o que importa mesmo é que vão encher o bolso e nunca precisarão de Bolsa-família, daí, é fácil criticar quem precisa!
Minha mensagem então é essa: – "Calem a boca, nordestinos!"

Calem a boca, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol.

Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes.

Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte!”

Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!

José Barbosa Junior, na madrugada de 03 de novembro de 2010.

ldb


ldb<
>

domingo, 24 de outubro de 2010

SERRA DEGENERA E DESVALORIZA A EDUCAÇÃO


Mais uma contribição do professor Paulo James para nosso blog. Aqui postamos a seu pedido espero que os amigos leitores expressem suas dalas com relação a este texto. Os rebates serão publicados igualmente.Eis a íntegra da mensagem:
SERRA DEGENERA E DESVALORIZA A EDUCAÇÃO
Sem material, professores da rede pública estadual de São Paulo "fazem milagre" para lecionar. Falta até lápis.
Os materiais fornecidos por SERRA para os alunos são insuficientes, obrigando os docentes a reunir alunos, reutilizar e a reaproveitar materiais. Professores em São Paulo faz milagre, um lápis vira dois, as coisas se multiplicam

Cristina, professora de biologia da rede pública de São Paulo afirma que vive juntando borracha, caneta e lápis para levar para escola e emprestar aos alunos. SERRA oferece apenas 40% da infra-estrutura e dos materiais necessários para realização das atividades nas escolas. Os 60% faltantes são complementados pela criação e esforço pessoal de cada professor da rede.

Paula, professora de Língua Portuguesa, afirma que o governo de São Paulo (SERRA) não investe no professor, não prepara o professor para o mundo moderno.

Professores reclamam também dos baixos salários, sem reajuste para a maioria. Afirmaram para Rede Brasil Atual que a atual progressão continuada, a falta de infra-estrutura e os baixos salários são os principais problemas da categoria em São Paulo.

Tomé Ferraz, professor de física e matemática, das redes estadual e municipal de São Paulo, comenta que o governo de São Paulo (SERRA) sobrecarrega o professor e culpa os professores pelas mazelas da educação. Diz ele, que depois de 28 anos de magistério, com mestrado em Física Quântica, ele ganha R$ 500,00 da rede pública estadual, somando com o salário ganho na escola municipal, alcança remuneração de R$ 2.200,00 por 40 horas semanais. Declara Tomé, que o professor têm a pior remuneração entre as carreiras de nível superior.

O salário que o professores de São Paulo recebe é um SALÁRIO DE BARBEIRO, não é um salário para um professor do maior estado da federação. Ele compara o salário de um professor ao salário de seu próprio cabeleleiro. "No estado de São Paulo, à hora-aula é de R$ 7,58, enquanto o seu barbeiro ganha R$8, 00, por corte de cabelo de 15 minutos. Em uma hora de trabalho, um cabeleleiro ganha R$ 32,00 e o professor R$ 7,58. É um descalabro salarial. Morando na capital, declara ele, que com este salário não dá para sobreviver.

Outro professor denunciou a falta de investimento na qualificação dos professores. Ele revela que tem mestrado, fez cursos na PUC e na USP, ele afirma que para o estado ele é considerado incompetente, pois não evoluiu na carreira há oito anos. A obtenção do seu mestrado não foi computada para efeito salarial.

Como professor, recebeu medalha de ouro e a comenda do mérito educacional "Professor Paulo Freire". "O estado de São Paulo não valoriza a formação do professor e nem oferece oportunidade para isso. Em oito anos, nenhum curso na área de física foi oferecido, cita. Quando a secretaria estadual de educação oferece qualificação tem de ser feita fora do horário de aula, mas o professor com carga extrema de aula, como fica, então? suscita.

Para outra professora chamada Paula, o salário do professor do estado de São Paulo é uma vergonha. Tem professor com 20 anos de magistério que ganha R$1.500,00. E tem alunos que ganham isso em trabalhos elementares, revolta-se.Estamos há 10 anos sem aumento,protesta.

Há dois anos, o governo do estado (SERRA) criou, em lei aprovada na Assembléia Legislativa, um mecanismo que permite evitar reajuste. A Secretaria de Educação promove uma política de aumentos conforme o desempenho em provas de avaliação do professor e o de seus alunos. Apenas 20% dos profissionais são contemplados com a correção salarial, enquanto os demais mantêm os mesmos rendimentos.Tem professor que ministra aulas no estado, na prefeitura e na rede particular. Aí trabalha demais e não tem como preparar uma boa aula mesmo, sentencia Paula

Com remuneração deficitária, sem condições materiais e de trabalho, os professores de São Paulo são atacados pelo desânimo, que neste caso é inevitável.

Rosana Almeida, professora de sociologia da rede pública estadual defende a tese de que "desacreditar "o professor é uma forma de não questionar a incapacidade de o estado gerir a educação é uma forma de terceirizar uma área que deveria ser essencial. A docente passou em todas as provas estabelecidas pelo governo estadual e em concurso público, mas até hoje não conseguiu ser efetivada. Ela está revoltada e decepcionada com os rumos da educação.

Em função dos baixos salários, da falta de condições de trabalho e de vida, os professores estão em extinção. Professor em São Paulo, no governo do SERRA é sinônimo de aperto financeiro, a maioria dos educadores não consegue pagar as suas contas.

Este artigo está baseado em dados de matéria publicada na revista Carta Capital de16/09/2010(“Sem material, professor “faz milagre” em SP”

Paulo James Queiroz Martins

Representante da APEOC em Maranguape

domingo, 17 de outubro de 2010

FELIZ DIA DO PROFESSOR


Recebi esta linda homenagem da coordenação de mestrado que tenho a honra de ser aluno.
Faço minhas estas palavras no intuito de homenagear a todos aqueles que participam da luta por uma educação pública libertária e igualitária.

Caros Professores (Alunos e Colegas)

O Dia do Professor é comemorado no dia 15 de outubro. Este marco surgiu no
dia 15 de outubro de 1827 que é consagrado à educadora Santa Tereza
D’Ávila, quando D. Pedro I baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino
Elementar no Brasil. Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos
tivessem suas escolas de primeiras letras”. Esse decreto falava de
bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as
matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os
professores deveriam ser contratados. Infelizemnte, apesar de decorridos
quase dois séculos, a idéia, inovadora e revolucionária ainda não foi
cumprida.

Mas como disse Cora Coralina,
"Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

Feliz Dia do Professor!!!!

Coodenação do Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática
Centro de Ciências
Universidade Federal do Ceará

Acredito na politica mas não em muitos políticos.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

COMO FHC E SERRA VENDERAM O BRASIL



No "cearencês" uma "ruma" de mensagens repetindo esta mesma história. É só conferir as fontes e tirar suas próprias conclusões. Um comentário(não-anônimo,é claro) seria bom.
Veja a mensagen sem cortes:
O Sr. José Serra do PSDB, tocava o programa de privatização e era o responsável pela vendas das estatais brasileiras, quando foi ministro do planejamento do governo FHC.

Confira na matéria abaixo, da revista Veja de 03/05/1995, o que o Ministro Serra disse: “Estamos fazendo todo o possível para privatizar em alta velocidade”.

Assim, conforme mostra as fotos abaixo, Serra bateu o martelo em leilões de privatização. A cada batida de martelo, bilhões do patrimônio público nacional eram retirados da mão do povo brasileiro e entregues a investidores privados. Um crime de lesapátria.


Nesta foto, José Serra aparece batendo o martelo durante o leilão da companhia de eletricidade, a ESCELSA, em 1995.

Nesta foto, José Serra bate o martelo e vende a companhia de eletricidade LIGHT. (Revista Veja do dia 29/05/199




Fonte: Revista Veja do dia 03/05/1995
Na matéria acima, a revista narra o que disse FHC para Serra: "É preciso dizer sempre em todo lugar que esse governo não retarda privatização, não é contra NENHUMA PRIVATIZAÇÃO, e vai vender tudo o que der para vender".

Fonte: Revista Veja do dia 07/02/1996
Na matéria acima, a revista mostra que o José Serra garante a privatização da Vale do Rio Doce: “A descoberta dessa mina não altera em nada o processo de privatização. Só o preço, que poderá ser maior.”
Olhe o vídeo em que o FHC afirma que o Serra foi o que mais lutou a favor da privatização da Vale:

OBS: Como sabemos, a Vale do Rio Doce foi vendida por $ 3,2 bilhões de Dólares. Esse valor corresponde ao lucro da empresa em apenas um semestre. Hoje, seu valor no mercado é de $ 196 bilhões de Dólares, ou seja, entregaram de graça um patrimônio público. Quem fez isso não pode ser a favor do Brasil.
Relação de empresas estatais brasileiras, privatizadas (entregues) pelo do governo neoliberal de FHC e José Serra, junto com governos estaduais da época, principalmente o do ex-governador Geraldo Alckmin:
- AES SUL (CEEE Distribuição) - vendida para a empresa americana AES;
- BANDEIRANTE Energia - vendida para o grupo Português EDP;
- CELPE - vendida ao grupo espanhol Iberdrola;
- CEMAR - vendida ao grupo americano Ulem Mannagement Company;
- CESP TIETE - vendida para a empresa americana DUKE;
- CETEEP - vendida para a empresa estatal Colombiana ISA;
- COELBA - vendida ao grupo espanhol Iberdrola;
- CONGÁS - vendida ao grupo britânico British Gas/Shell;
- COSERN - vendida ao grupo espanhol Iberdrola;
- CPFL - vendida para o grupo brasileiro VBC;
- ELEKTRO - vendida para a empresa americana ENRON;
- ELETROPAULO - vendida para a empresa americana AES;
- ESCELSA - vendida ao grupo português GTD Participações, juntamente com o consorcio de Bancos Iven S.A.
- GERASUL - vendida para empresa Belga Tractebel;
- LIGHT- vendida ao grupo francês e americano EDF/AES;
- RGE - vendida para o grupo brasileiro VBC;
- BAMERINDUS - vendido ao grupo britânico HSBC;
- BANCO BANESPA - vendido ao grupo espanhol Santander;
- BANCO MERIDIONAL - vendido para o Banco Bozano;
- BANCO REAL - vendido ao grupo ABN-AMRO, hoje sob o controle do grupo Santander;
- BEA (Banco do Amazonas S.A.) - vendido ao Bradesco;
- BEG (Banco de Goiás) - vendido ao Itaú;
- CARAIBA - Mineração Caraíba Ltda
- CIA. VALE do RIO DOCE;
- PQU (Petroquímica União S.A);
- Empresas de Telecomunicação do grupo TELEBRAS: EMBRATEL, TELESP, TELEMIG, TELERG, TELEPAR, TELEGOIÁS, TELEMS, TELEMAT, TELEST, TELEBAHIA, TELERGIPE, TELECEARÁ, TELEPARÁ, TELPA, TELPE, TELERN, TELMA, TELERON, TELEAMAPÁ TELAMAZON, TELEPISA, TELEACRE, TELAIMA, TELEBRASÍLIA, TELASA. A maioria vendida a grupos internacionais: espanhol, italiano, mexicano e, algumas a um grupo brasileiro.
O que foi exposto ilustra claramente qual é a política econômica a ser adotada, caso José Serra seja presidente. Uma política de venda do patrimônio público, sem nenhum pudor.
Se Serra for o próximo presidente poderá bater o martelo para vender o que restou de nossas empresas: Petrobras, BNDES, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Furnas, Chesf, Eletronorte, Eletrosul, dentre outras. Ele só precisa de mais quatro anos de governo para concluir o serviço que começou com o governo FHC.
José Serra é o candidato da aliança partidária: PSDB, DEM e PPS.
As privatizações comprovam que eles são os entreguistas do Brasil.

VEJA TAMBÉM ESTA PÉROLA DE CURRÍCULO CLICANDO AQUI.

Privatização da Vale, Light também . . .

Privatizou ou não privatizou?

Serra foi um dos que mais lutou pela privatização da Vale

UNESP

domingo, 10 de outubro de 2010

GUERREIROS X FUJÕES

Recebi alguns e-mails com mensagens escritas por Pe. Sidnei e Pedro Bial, que aqui as socializo. Inclusive os e-mails solicitam que repassemos tais mensagens. Dou crédito aos conteúdos por confiar nos amigos que a enviaram, muito embora não tenha notícia de haverem sido publicados em algum meio de comunicação. Usemos, pois, a nossa mídia alternativa para este fim. Divulgue também para que seus amigos possam ler e tirar suas próprias conclusões.
Esis a íntegra das mensagens.
Para que não haja mais nenhuma dúvida.

Por favor repassem a todos os contatos.

Penso que artigo de Pedro Bial deveria ser refletido e divulgado. Em nosso Pais uma Elite que sempre dominou e usou o povo. Só ultimamente sentimos sinais de democracia.

Temos ainda muito a avançar...

Não venda seu voto.

Não acredite nas mentiras da grande mídia.

Saudações!
Pe. Sidnei

O Hino Nacional diz em alto e bom tom (ou som, como preferir) que “um filho seu não foge à luta”. Tanto Serra como Dilma eram militantes estudantis, em 1964, quando os militares, teimosos e arrogantes, resolveram dar o mais besta dos golpes militares da desgraçada história brasileira. Com alguns tanques nas ruas, muitas lideranças, covardes, medrosas e incapazes de compreender o momento histórico brasileiro, “colocaram o rabinho entre as pernas” e foram para o Chile, França, Canadá, Holanda. Viveram o status de exilado político durante longos 16 anos, em plena mordomia, inclusive com polpudos salários. Foi nas belas praias do Chile, que José Serra conheceu a sua esposa, Mônica Allende Serra, chilena.

Outras lideranças não fugiram da luta e obedeceram ao que está escrito em nosso Hino Nacional. Verdadeiros heróis, que pagaram com suas próprias vidas, sofreram prisões e torturas infindáveis, realizaram lutas corajosas para que, hoje, possamos viver em democracia plena, votar livremente, ter liberdade de imprensa.
Nesse grupo está Dilma Rousseff. Uma lutadora, fiel guerreira da solidariedade e da democracia. Foi presa e torturada. Não matou ninguém, ao contrário do que informa vários e-mails clandestinos que circulam Brasil afora.Não sou partidário nem filiado a partido político. Mas sou eleitor. Somente por estes fatos, José Serra fujão, e Dilma Rousseff guerreira, já me bastam para definir o voto na eleição presidencial de 2010. Detesto fujões, detesto covardes!

Pedro Bial, jornalista.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Manifesto nó do Lazer.

Talvez fosse ora para abrir sobre algo infame, mas é vez de abrir para o sonho, o lírico, no estado real de efetivação das coisas. Falar de lazer é trazer a lembrança o dia que é hoje, em que também fazemos e acontecemos através do brincar, do se divertir.
O lazer, uma “mercadoria” que vem sendo mal empregada e comercializada no Séc. XXI, é pura revolução do pensar, é ora livre das obrigações, contrapartida a cultura do trabalho, donde deveriam surgir as idéias mais bem quistas a emancipação humana. Mas é com o lazer tido como mercadoria que temos hegemonizado sua prática e matado todos os motivos locais.
Averigüemos a concepção que tem ganhado os esportes no Brasil a partir da referência tomada pelos megaeventos (COPA E OLIMPÍADA) que acontecerão no país. Neste mote, além de construir com dinheiro público um espaço de lazer para a minoria da população, deixaremos de herança os grandes elefantes para que “uns Corinthians” das organizações privadas faça seus lucros. Além disso, alienando o lazer em via única de esportivização, que só é mesmo lazer para os que assistem, pois para os que jogam é trabalho, é lesão, é doping, é sobre-humano, é homem máquina, se é que assim podemos ser; esquecemos de nossas tradições, como o pega-pega, o esconde-esconde, os folguedos, as danças, o cinema, o teatro, a leitura, a arte literária, a música, dentre tantas outras manifestações do lazer.
O real é que por esta comercialização deveríamos passar a meros espectadores-consumidores, nos eximindo da própria práxis; e assim seríamos os representativos aficionados telespectadores “globais” e não os jogadores, a platéia e não os artistas; somos a massa confundida com o poder de acesso aos bens comercializados, confundidos entre o ser e o ter, somos tidos como “aqueles que tem” e por isso “podem”, esquecendo-se totalmente do princípio revolucionário do lazer. O ser humano somente se faz na prática independentemente do dinheiro que possui. Mas, vejamos o lazer da criança, um alvo fácil da televisão e da indústria que a cada dia renova o lúdico na imposição de uma cultura descartável. A elas cabe apenas gerenciar seu engajamento através da compra das cartinhas, dos bonecos e das leituras dos filmes mais comentados.
De certo que, tudo isso requer do ser humano uma releitura, não estamos somente a mercê do tempo somos o próprio tempo, não somos uma mera tabula rasa em que depositam as substâncias, tudo aquilo que fazemos durante nosso lazer é o que gostamos de fazer e o que idealizamos enquanto práxis. Daí atentarmos para a o pensamento crítico também na ora do consumo do lazer, pois somos os produtores do lazer nessa ora.
Queremos que se diga que nossos campos suburbanos são tomados para a construção de Ap’s, as verbas públicas ao invés de destinar-se a construção de espaços para a prática social da maioria da população tomam o rumo dos cofres dos clubes esportivos, que somente sobrevivem na especulação do mercado de atletas.
Para virar todo esse jogo é preciso driblar o “poder público” que investe no privado e individualiza todo nosso projeto de partida, devemos tomar como norte o ideal de investirmos na emancipação humana das comunidades. Urbanizando os arredores dos lagos, açudes, rios e praias, construindo praças públicas amplamente arborizadas, incentivando a leitura, democratizando o acesso aos livros, garantindo acesso e produção de cinema, apoiando as manifestações artísticas das classes populares e principalmente elevando o espírito crítico das pessoas no que diz respeito ao seu direito de lazer, que é também luta pela redução da jornada de trabalho e ainda pensamento e práxis reflexivas na arte de viver em sociedade.


Daniel Pinto Gomes 
LP em Educação Física
Prof. do IF-Ce

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Agrotóxico: os 10 alimentos mais perigosos


Recebi e não poderia deixar de socializar.
Façam a gentileza de comentar o que concorda ou não e repasse artigos que possam confirmar ou rebater o que está posto.
Eis a íntegra do documento.

Por Lúcia Nascimento, em 13.09.10


Com saudade daquele moranguinho com creme? Gosta de uma couve na sua feijoada? Pois, cuidado. Um estudo divulgado esse ano pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) colocou esses alimentos entre os mais perigosos para o consumo, por terem grande chance de sofrer contaminação excessiva ou uso errôneo de agrotóxicos. Aqui está, em ordem do mais perigoso para o menos, a lista dos top 10: pimentão (80,0%), uva (56,40%), pepino (54,80%), morango (50,80%), couve (44,20%), abacaxi (44,10%), mamão (38,80%), alface (38,40%), tomate (32,60%) e beterraba (32,00%).

Da ANVISA, sobre os resultados do relatório: …chama a atenção a grande quantidade de amostras de pepino e pimentão contaminadas com endossulfan, de cebola e cenoura contaminados com acefato e pimentão, tomate, alface e cebola contaminados com metamidofós. Além de serem proibidas em vários países do mundo, essas três substâncias já começaram a ser reavaliadas pela Anvisa e tiveram indicação de banimento do Brasil. De acordo com Dirceu Barbano, diretor da Anvisa, “são ingredientes ativos com elevado grau de toxicidade aguda comprovada e que causam problemas neurológicos, reprodutivos, de desregulação hormonal e até câncer”.

A pesquisa analisou amostras de 20 tipos de vegetais. Em 15 delas, encontrou agrotóxicos usados de forma irregular. A 1ª coluna mostra o número de amostras analisadas por alimento. Em seguida, na coluna ‘Não autorizados para cultura’, aparece o número absoluto e percentual das amostras onde aparece o uso irregular de agrotóxicos. No mesmo formato, a 3ª coluna ‘Acima do limite máximo de resíduo’ destaca as amostras que continham quantidades de agrotóxicos permitidos, mas além dos limites seguros. A 4ª coluna mostra a intersecção das amostras que se encaixam nas duas categorias. E, finalmente, a última coluna, mostra a chance de contaminação do alimento de acordo com a soma das modalidades anteriores. Os 5 alimentos que têm chance de contaminação abaixo de 10% estão marcados em verde água (de novo, o colorido é nosso). É um panorama nada animador, pois essa lista contém boa parte dos vegetais que, até mesmo por razões de saúde, somos incentivados a consumir.

A alternativa eficaz para evitar pesticidas é consumir orgânicos. Mas nem sempre isso é possível – já que esses vegetais costumam ser mais caros e não são encontrados em quantidade suficiente em todas as cidades. Por isso, uma solução intermediária é tentar eliminar os resíduos de agrotóxicos, quando possível. A nutricionista Cláudia Cardim, coordenadora do curso de nutrição da Universidade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro, dá as dicas para isso.

* No caso de alimentos de origem animal (que podem ter sido contaminados pelos agrotóxicos pela água ou pela comida), retire a gordura aparente, pois algumas dessas substâncias são armazenadas no tecido gorduroso
* Lave frutas e verduras em água corrente por pelo menos um minuto, esfregando com uma esponja ou escova
* Tire as folhas externas das verduras e descasque as frutas, pois essas partes concentram mais agrotóxico
* Diversifique os vegetais consumidos no dia a dia, pois isso reduz a ingestão de quantidades maiores de um mesmo agrotóxico
* Como alguns pesticidas podem ser utilizados na fase final da maturação do alimento, reduza o risco comprando frutas e legumes mais verdes, e espere alguns dias antes de consumi-los.

Links que apresentam dados sobre algumas substancias citadas acima:
* http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/0984690042f586f88a239e536d6308db/NT+Endossulfan.pdf?MOD=AJPERES
* http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/6d0db40042f588288a3c9e536d6308db/NT+Acefato.pdf?MOD=AJPERES
* http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/6d0db40042f588288a3c9e536d6308db/NT+Acefato.pdf?MOD=AJPERES





Prof. Dr. J. C. VOLTOLINI
Universidade de Taubate - Departamento de Biologia
Taubate, SP. 12030-010. E-Mail: jcvoltol@uol.com.br
Website do grupo de pesquisa ECOMAM: http://jcvoltol.sites.uol.com.br/
Fotos de Projetos e Cursos: http://jcvoltol.fotoblog.uol.com.br/
Amostra de um Curso de Campo de Ecologia: http://trabiju.blogspot.com/
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8137155809735635
Fotos Artísticas: http://voltolini.fotos.net.br/texturas

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

300.000 VOTOS PARAO TIRIRICA!!! ... AO POVO, PÃO E CIRCO

Recebi este e-mail e estou socializando com os amigos.
Isso mesmo meus leitores, soube hoje pela manhã que em recente pesquisa no Estado de São Paulo, o candidato TIRIRICA teria mais de 300.000 votos em sua candidatura à Deputado Federal.

Nada me leva a crer que pessoas com real consciência política estão ditando seu voto à essa personalidade irreverente da Televisão e do Teatro brasileiro ( Estendendo à todos as demais personalidades esquisitas, pelo menos politicamente – Mulher Pera, Tonhão da Mandioca, e etc…), e ainda, como um Partido que surgiu recentemente, reunindo um certa nata política do Estado do Mato  (O PR) pode admitir em suas fileiras pessoas que nitidamente estão despreparadas para assumir tão importante posição política no Brasil?

Marionetes políticas?
Certa vez disse em uma roda de Amigos que para ser Candidato à qualquer cargo eletivo no Brasil, o referido deveria passar por um  certo vestibular ou concurso para demonstrar pelo menos intelectualmente sua capacidade de discernimento  político, social e econômico, além de seus conhecimentos sobre sua região e sobre seu País. Fui quase enxotado, pois estava ditando algo fora dos preceitos básicos da Democracia!!! Haaaa se me dessem Bola!!!

O tal do Tiririca,  meus Leitores NÃO TEM CONDIÇÕES  de assumir este cargo, e isso não sou eu que digo, ele mesmo diz em seus programas eleitorais, e mesmo usando destes jargões, do tipo “ PIOR QUE TÁ NÃO FICA”, “ VOU AJUDAR OS MAIS NECESSITADOS, INCLUSIVE MINHA FAMILIA”, “ NÃO SEI O QUE SE FAZ UM DEPUTADO FEDERAL, MAS VOTE EM MIM QUE DEPOIS EU CONTO”, e ainda várias entrevistas que cedeu à alguns jornais exaltando sua própria ignorância acerca da política nacional.

Isso me faz lembrar , a Roma antiga, em sua política do Pão e Circo, pois com o crescimento urbano de Roma,  vieram também seus problemas sociais . A escravidão gerou muito desemprego na zona rural Esta massa de desempregados migrou para as cidades romanas em busca de empregos e melhores condições de vida. Receoso de que pudesse acontecer alguma revolta de desempregados, o imperador romano criou a política do Pão e Circo. Esta consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios ( o mais famoso foi o Coliseu de Roma ), onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, diminuindo as chances de revolta.
As vezes então me vejo a pensar, como este método ainda é aplicado mesmo depois de mais de 2.000 anos D.C, e vem funcionando perfeitamente.
Até mesmo os mais “ intelectuais”  ou que se mostram como tal massificam a propaganda eleitoral deste candidato que assumidamente, vejam só, estou dizendo que ele assume, não ser um preparado político para nossa Nação.
Recebo um turbilhão de e-mails todos os dias em minhas caixas postais , em sua grande maioria degradando candidatos e partidos, porém, de uns 15 dias para cá, esse turbilhão de e-mails  foi substituído por piadinhas acerca do candidato TIRIRICA, e se esqueceu de discutir democraticamente as melhores propostas dos candidatos.
Vejam só, só quem acredita nos contos das 1001 Noites é que pode ter a certeza que mudará algum coisa exaltando questões políticas por e-mail.
Alguém aqui acredita que pelo menos 70% dos Eleitores sabem o que é “ SIGILO FISCAL”? OU RECEITA FEDERAL?. NÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOO, isso eu tenho certeza.
Não adianta querermos ser reacionários e expressar opiniões se nosso relacionamento está dentro de um círculo  elitista, e não vamos dizer que estou errado, pois estou certo, ou quantas vezes você  leitor em sua vida procurou dar instrução politica para pessoas fora do meio elitista?…
Ao Povo, realmente, Pão e Circo, e quem sabe não sobra umas migalhas para darmos aos pombos na praça onde levamos nossos filhos, bem nutridos, bem educados e bem vestidos passearem!!.

NÃO ADIANTA, FICARMOS NO AR CONDICIONADO DE NOSSOS ESCRITÓRIOS TECLANDO E-MAILS COM PALAVRAS DE ORDEM, TUDO DENTRO DE UMA REAÇÃO VIRTUAL… !!!, ENQUANTO ISSO, O POVO COME O PÃO E SE DIVERTE COM O TIRIRICA….!!
“O ESCRITOR MAÇOM”

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A REALIDADE DO PISO

A REALIDADE DO PISO
Recebi esta mensagem virtual de
PAULO JAMES QUEIROZ MARTINS, REPRESENTANTE DA APEOC EM MARANGUAPE, e aqui socializo com os amigos leitores. Continuo "sem entender" o silencio de políticos (que se dizem defensores de nossa categoria e insistem na campanha atual dizer que nos defendem - ENGANA-ME QUE EU GOSTO), dos partidos "de esquerda", dos sindicatos dos trabalhadores de educação, das centrais sindicais, das confederações dos trabalhadores de educação ou não, e dos próprios trabalhadores em educação sobre esta questão. Lia e comente no link após esta postagem.
Apesar da Lei 11.738, a lei do Piso Salarial dos Professores, comemorar dois anos de idade em junho deste ano, ela é totalmente desobedecida pela maioria dos municípios e estados do país.Para que esta lei seja obedecida é preciso que muitos nós sejam desatados e muitas contradições sejam esclarecidas.

A lei do piso prevê um salário base de R$ 950,00 para os professores, diretores, coordenadores, inspetores, supervisores, orientadores e planejadores escolares, salário esse que deveria ser reajustado em janeiro de 2009 e de 2010.

A partir daí formou-se a primeira confusão, o primeiro nó e o primeiro entrave para o não pagamento do piso. O MEC calculou os reajustes do piso em 0% em 2009 e 7,86% em 2010. O valor atual e oficial do piso é de R$ 1.024,51. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) reivindica R$ 1.312,85. Esta diferença é explicada nos meandros da lei.

O Supremo Tribunal Federal (STF), em resposta a uma ação movida por cinco governadores contra a lei do piso, entre eles, o governador do estado do Ceará (Cid Gomes) e os governadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e do Mato Grosso do Sul. Em resposta a esta ação o STF determinou que o valor do piso deveria ser cumprido a partir de janeiro de 2009,independentemente da decisão final da ADIN (que ainda não foi tomada.

Deste modo os estados e o MEC entenderam, interpretaram que a lei passaria a valer a partir desta dada (janeiro 2009)e que o piso não receberia o ajuste previsto no documento(lei do piso).

Para Roberto Leão, Presidente da CNTE, esta análise da lei do piso feita pelos estados e pelo MEC é totalmente equivocada, e diz que eles cometeram um erro grave, quando desconsideraram esse reajuste previsto na lei. Para ele o MEC errou novamente quando fez o reajuste do piso em janeiro de 2010 baseado no custo-aluno do Fundeb do passado e não em perspectiva futura como determina a lei.

Já, o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME),Carlos Eduardo Sanches,concorda com o valor adotado pelo MEC e pelos estados, alegando ele, a baixa capacidade orçamentária e financeira dos municípios para arcar com o pagamento do piso.Esqueceu ele, que a lei do piso garante o repasse de recursos financeiros pela União para complementar o pagamento do piso salarial dos professores, caso o município ou estado não tiver condições de arcar com o pagamento do piso.

Porém, para que esta complementação de recursos seja efetivada pela União é preciso que as administrações municipais que não tiverem condições de pagar o piso aos seus professores apresentem contas regularizadas e planilhas detalhadas dos gastos com a educação e provem que não tem condições, que não têm dinheiro necessário para aumentar o salário de seus professores e se encaixem nos critérios exigidos pelo governo federal. Porém as maiorias das prefeituras estão com suas contas irregulares ou com improbidade administrativa. Não podendo ou não conseguindo provar que não têm dinheiro necessário para pagar o piso salarial dos professores.

Existe hoje a disposição das prefeituras que precisam de verbas para complementação do pagamento do piso a importância de 700 milhões de reais.

Cristovam Buarque, senador (PDT) e autor da lei do piso, declarou enfaticamente ao Jornal Folha de S. Paulo, em março deste ano que, se fosse verba para obras, os prefeitos viriam correndo em busca desta verba.O problema é que ninguém inaugura professor ou aluno.

Mozart Ramos, presidente-executivo da Campanha Todos pela Educação, afirma que a baixa arrecadação de muitos municípios,especialmente das regiões norte e nordeste impedem esses municípios de se enquadrarem nos critérios do MEC. Afirma ele que os pré-requisitos são extremamente burocráticos,deste modo os municípios têm dificuldades de cumprir as exigências,tornando praticamente impossível receber o benefício.

Já, o secretário-executivo do MEC, Francisco das Chagas Fernandes, vê a peneira rigorosa como um ponto positivo. ”Com certeza muitos municípios vão ter dificuldades, mas as regras do piso servirão até mesmo para que muitos municípios organizem melhor os seus gastos.

O que se observa é que, o déficit orçamentário e as diferentes interpretações da lei do piso têm provocado uma disparidade total na folha de pagamento dos professores da educação básica do Brasil. Enquanto estados como o Rio Grande do Sul R$ 862,80,São Paulo paga R$ 1.950,00 aos professores com 40 horas/semanais, sendo que 90% deles graduados no ensino superior, com reajuste negociado que aumentará o valor para R$ 2.200,00. Para os professores que tem nível médio, o piso para 40 horas passará a ser de R$ 1.821,12.

Sabemos que a realidade dos outros estados brasileiros está longe da realidade de São Paulo.Pois para alcançar o valor do piso, a maioria das administrações públicas se apóiam na interpretação dúbia ou em outras brechas da lei. A lei do piso não especifica com todas as palavras, por exemplo, que as gratificações não podem fazer parte do salário, mas para um bom entendedor, esta claro, porque piso é um valor absoluto, único, um salário inicial. Incluir gratificações no valor do piso, contraria o princípio de piso. A lei do piso determina que o salário-base vale como valor inicial e este salário deve evoluir com o plano de carreira.

Embora a lei do piso determine que o salário inicial é válido para a jornada de, no máximo, 40 horas semanais, quase todos os municípios e estados decidiram excluir as palavras ”no máximo” e estabeleceu que o piso vale apenas para 40 horas por semana e nada menos, desconhecendo a regra da proporcionalidade e os valores proporcionais as horas trabalhadas.


Entenda a lei e suas controvérsias:

Os beneficiados são os profissionais do magistério público da Educação Básica (educação infantil, ensino fundamental e médio) com formação em nível médio.

O valor do piso é de R$ 950,00 pela lei, com reajuste em 2010 para R$1.024,51, calculado pelo MEC e de R$ 1.315,85 pela CNTE. Este salário base deve ser aplicado no início da carreira e aumenta de acordo com o plano de carreira. O dinheiro para o pagamento deste piso vem da arrecadação municipal/estadual, mas as administrações podem pedir recursos adicionais junto à União.

PAULO JAMES QUEIROZ MARTINS

REPRESENTANTE DA APEOC EM MARANGUAPE

quinta-feira, 29 de julho de 2010

FRASES DE JOGADORES

Recebi esta mensagem virtual que provocou-me risos e lágrimas. Espero que contribua para provocar-lhe alguma emoção. Vamos ler embora . . .

Eis o dito cujo:


'Chegarei de surpresa dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG.'

(Mengálvio, ex-meia do Santos, em telegrama à família quando em excursão à Europa)

'Tanto na minha vida futebolística quanto com a minha vida ser humana.'
(Nunes, ex-atacante do Flamengo, em uma entrevista antes do jogo de despedida do Zico)

'Que interessante, aqui no Japão só tem carro importado.'
(Jardel, ex-atacante do Grêmio)

'As pessoas querem que o Brasil vença e ganhe.'
(Dunga, em entrevista ao programa Terceiro Tempo)

'Eu, o Paulo Nunes e o Dinho vamos fazer uma dupla sertaneja..'
(Jardel, ex-atacante do Grêmio)

'O novo apelido do Aloísio é CB, Sangue Bom.'
(Souza, meio-campo do São Paulo, em uma entrevista ao Jogo Duro)

'A partir de agora o meu coração só tem uma cor: vermelho e preto.'
(Jogador Fabão, assim que chegou no Flamengo)

'Eu peguei a bola no meio de campo e fui fondo, fui fondo, fui fondo e chutei pro gol.'
(Jardel, ex- jogador do Vasco e Grêmio, ao relatar ao repórter o gol que tinha feito)

'A bola ia indo, indo, indo... e iu!'
(Nunes, jogador do Flamengo da década de 80)

'Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu.'
(Claudiomiro, ex-meia do Inter de Porto Alegre, ao chegar em Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu, pelo Brasileirão de 72)

'Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola.'
(Bradock, amigo de Romário, reclamando de um passe longo)

'No México que é bom. Lá a gente recebe semanalmente de 15 em 15 dias.'
(Ferreira, ex-ponta esquerda do Santos)

'Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe.'
(Jardel, ex-atacante do Vasco, Grêmio e da Seleção)

'O meu clube estava a beira do precipício, mas tomou a decisão correta, deu um passo a frente.'
(João Pinto, jogador do Benfica de Portugal)

'Na Bahia é todo mundo muito simpático. É um povo muito hospitalar.'
(Zanata, baiano, ex-lateral do Fluminense, ao comentar sobre a hospitalidade do povo baiano)

'Jogador tem que ser completo como o pato, que é um bicho aquático e gramático.'
(Vicente Matheus, eterno presidente do Corinthians)

'O difícil, como vocês sabem, não é fácil.'
(Vicente Matheus)

'Haja o que hajar, o Corinthians vai ser campeão.'
(Vicente Matheus)

'O Sócrates é invendável, inegociável e imprestável.'
(Vicente Matheus, ao recusar a oferta dos franceses)

AGORA SENTA E CHORA......

COMPARE O SALÁRIO DELES COM O SEU....

Quem mandou perder tempo estudando numa terra em que não se valoriza o professor?

Quem não sabe ensinando a quem não entende



Quem não sabe orientando quem não entende e usando a sabedoria como argumento. Aí a coisa fica complicada.
Recebi uma mensagem virtual e resolvi verificar a versão do youtube e dentre as várias disponibilizadas escolhi esta para que os amigos leitores apreciassem. Vejam e não deixem de comentar.
O alfabetismo funcional é fundamental uma vez que não podemos apenas acreditar no que dizem.
Veja então o vídeo selecionado.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

ELEITORES BRASILEIROS PRIORIZAM VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO

Recebi mensagem virtual de amigo e leitor nosso, colega também professor. Mais um indignado com o desmonte da educação pública por conta dos inúmeros "equívocos" cometidos por projetos esdrúxulos de governos descomprometidos com esta nobre causa e a seqüência de ataques à profissão dos profissionais da educação. Vejamos o que nos diz tal mensagem:

Em pesquisa qualitativa, realizada com eleitores de todo o país pelo Ibope no dia 17 de junho de 2010, revela que a população brasileira, clama e pede que a valorização do magistério seja a principal política educacional a ser efetivada pelo estado brasileiro.

A pesquisa mostra que 46% da população reivindicam essa medida, 29% reivindicam melhoria dos equipamentos das escolas existentes, 28% reivindicam a criação de escolas profissionalizantes, 28% reivindicam segurança nas escolas, 26% reivindicam ampliação das redes escolares públicas e finalmente 26% reivindicam a melhoria da capacitação dos trabalhadores da educação. Em 1999, em uma pesquisa realizada pela CNTE, denominada de Retrato da escola, onde estas constatações já eram verificadas. 50% dos entrevistados nesta pesquisa acharam muito baixos os salários dos profissionais da educação e reivindicaram também a melhoria na qualidade do ensino público, desde a infraestrutura até a formação continuada dos trabalhadores da educação pública.

O presidente Lula ouvindo a categoria e o povo já deu o grande exemplo de valorização do magistério brasileiro quando deu o piso salarial dos professores através da Lei 11.738 e quando construiu várias escolas técnicas em todo o Brasil.

Infelizmente o nosso grande presidente Lula é boicotado pela maioria dos governadores e prefeitos de todo Brasil,quando se negam a pagar o piso salarial aos seus professores,mesmo sabendo que o dinheiro não é problema, pois o presidente Lula garante o repasse de complementação de recursos aos municípios que não tiverem condições de pagar o piso.

Teve até alguns governadores, inclusive o do Ceará, Cid Gomes, que entraram no Supremo com uma Ação direta de inconstitucionalidade (ADIM) contra o piso dos professores. Esses governadores deveriam enxergar que inconstitucional é o baixo salário dos professores e a corrupção desenfreada instalada em nosso país.

É preciso que as administrações estaduais e municipais de todo o Brasil implantem e paguem urgentemente o piso salarial dos professores, de modo que a Lei 11.738(PISO DO MAGISTÉRIO) seja respeitada, de modo a corrigir as injustiças cometidas com os nossos educadores, que eles sejam realmente valorizados com o piso salarial digno e com um plano de cargos e carreira, com carreiras devidamente estruturadas e dignas para o bom desempenho da profissão.

Estas pesquisas mostram que o povo já conhece a situação salarial caótica em que se encontram os educadores brasileiros, e sabem que é preciso que os políticos que administram os estados e os municípios brasileiros quitem imediatamente está dívida histórica com o magistério brasileiro. Pois somente deste modo é possível garantir um desenvolvimento econômico, social, cultural e ambiental sustentável. Sem valorizar o educador jamais se terá uma educação de qualidade.

É preciso seguir os exemplos de outros países, onde a valorização do magistério é priorizada, como é o caso da Finlândia. Segundo Reijo Laukkanen,um dos membros do Conselho Nacional da Educação da Finlândia,que deixou os ouvintes estupefatos,de boca aberta na 17º edição da Educador Educar.Tudo porque relatou que,em seu país,é preciso ter mestrado para lecionar,desde a educação infantil.O conselheiro disse que os bons resultados do Pisa é obtido através de uma conjunção de políticas,como investimento em formação,valorização e a liberdade docente.E lembrou que o bom desempenho finlandês na educação não pode ser associado à adoção de tecnologias nas escolas,já que o país ainda discute caminhos para inserir o aparato tecnológico em sala de aula.



Paulo James Queiroz Martins

Representante da APEOC em Maranguape

terça-feira, 13 de julho de 2010

A Evolução da Educação



Recebi este e-mail a vários dias e só hoje consegui socializar com vocês. Temos algumas a refletir segundo esta mensagem. Vejamos

A Evolução da Educação.

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia...
Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas..

Leiam relato de uma Professora de Matemática:
Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavo s, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.

Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender. Por que estou contando isso?

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:
1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda. Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual
a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:

( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00.Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.

( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

7. Em 2010 vai ser assim:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00. (Se você é afrodescendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder)

( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

E se um moleque resolve pichar a sala de aula e a professora faz com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou traumas na criança.

Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

“Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Passe adiante!
Precisamos começar JÁ!

Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive..."

REALIDADE EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL!


Este foi o título da mensagem virtual que recebi, na realidade foram algumas mensagens virtuais, e que chamou muito a minha atenção pelo sentimento que passa no seio da sociedade por esta figura do poder executivo.
Estou apresentando na íntegra, inclusive sem nenhuma espécie de revisão, para que não receba nenhum tipo de influência dos meus sentimentos neste momento. Oportunamente, tecerei minhas considerações. Espero que os amigos leitores, caso assim desejem, façam suas contribuições, críticas sobre o assunto. Ei-lo.


ESSA É MUITO BOA!!!!!!!!




Havia certa vez um homem navegando com seu balão, por um lugar desconhecido. Ele estava completamente perdido, e qual grande foi sua surpresa quando encontrou uma pessoa... Ao reduzir um pouco a altitude do balão, em uma distância de 10m aproximadamente, ele gritou para a pessoa:


- Hei, você aí­, aonde eu estou? E então a jovem respondeu:
- Você está num balão a 10 m de altura!
Então o homem fez outra pergunta:
- Você é professora, não é?
A moça respondeu:
- Sim...puxa! Como o senhor adivinhou?
E o homem:
- É simples, Você me deu uma resposta tecnicamente correta, mas que não me serve para nada...
Então a professora pergunta:
- O senhor é secretário da educação, não é?
E o homem:
- Sou...Como você adivinhou???


E a Professora:
- Simples: o senhor está completamente perdido, não sabe fazer nada e ainda quer colocar a culpa no professor.

"Mijada de Dunga" na GLOBO

"


Outro lote de mensagens virtuais que recebi desta feita com o contexto descrito na íntegra em seguida e que, com certeza, lavou a alma de muitos brasileiros.
Quando aqui escrevo ou transcrevo tenho a intenção de provocar um debate sobre o tema ou pelo menos possibilitar aos amigos leitores tomar conhecimento sobre o que se passa. Um retorno clicando em "comentário" seria de muito bom tom.
Veja o que dizem as mensagens:
Essa merece ser lida e repassada para dar conhecimento a verdade dos fatos.
Cada vez mais me simpatizo com o “zangado” Dunga. Também gostei muito. Saiu na “Tribuna da Imprensa” on-line. Leiam.
Vejam Dunga dando uma de João Saldanha em cima da TV Globo.
O Jornal O Globo em sua primeira página da edição de quarta-feira 16 de junho de 2010, desce a lenha na seleção e principalmente no seu treinador.
Qual a razão dessa súbita mudança de comportamento?
Vamos aos fatos:
Segunda-feira, véspera do jogo de estréia da seleção brasileira contra a Coréia do Norte, por volta de 11 horas da manhã, hora local na África do Sul. Eis que de repente, aportam na entrada da concentração do Brasil, dona Fátima Bernardes, toda-poderosa Primeira Dama do jornalismo televisivo, acompanhada do repórter Tino Marcos e mais uma equipe completa de filmagem, iluminação etc.
Indagada pelo chefe de segurança do que se tratava, a dominadora esposa do chefão William Bonner sentenciou:
“Estamos aqui para fazer uma REPORTAGEM EXCLUSIVA para a TV Globo, com o treinador e alguns jogadores.”
Comunicado do fato, o técnico Dunga, PESSOALMENTE dirigiu-se ao portão e após ouvir da Sra. Fátima o mesmo blá-blá-blá, foi incisivo, curto e grosso, como convém a uma pessoa da sua formação.
“Me desculpe, minha senhora, mas aqui não tem essa de “REPORTAGEM EXCLUSIVA” para a rede Globo. Ou a gente fala pra todas as emissoras de TV ou não fala pra nenhuma.”

Brilhante!!!
Pela vez primeira em mais de 40 anos, um brasileiro peitava publicamente a Vênus Platinada!!!
“Mas, prosseguiu dona Fátima – esse acordo foi feito ontem entre o Renato ( Maurício Prado, chefe de redação de Esportes de O Globo ) e o Presidente Ricardo Teixeira. Tenho autorização para realizar a matéria”.
“Não tem autorização nem meia autorização, aqui nesse espaço eu é que resolvo o que é melhor para a minha equipe. E com licença que eu tenho mais o que fazer. E pode mandar dizer pro Ricardo ( Teixeira ) que se ele quer insistir com isso, eu entrego o cargo agora mesmo!”
O treinador então virou as costas para a supra sumo do pedantismo e saiu sem ao menos se despedir.
Dunga pode até perder a Copa , seu time pode até tomar uma goleada, mas sua atitude passa à história como um exemplo de coragem e independência. Dunga, simplesmente, mijou na Vênus Platinada ! Uma estátua para ele!!!
Dunga II - O tsunami na Rede Globo.
Quem presenciou na noite de domingo o editorial do programa “Fantástico” da rede Globo, lido pelo repórter Tadeu Schmidt, há de ter compreendido todo o desespero que se apossou da “Vênus Platinada”, em relação ao técnico da seleção brasileira.
Chamando-o de “grosseiro, mal educado” e outros mimos a mais, a poderosa estação do Jardim Botânico viu pela primeira vez em mais de 40 anos, um brasileiro desafiar seu domínio, e literalmente mijar na sua cabeça.
Recordando os fatos mais recentes, inconformado com a proibição das tais “entrevistas exclusivas” que só seriam concedidas à Globo, na sexta feira o Assessor de Imprensa da CBF levou ao técnico Dunga outro memorandum, dessa vez do próprio Presidente Ricardo Teixeira, solicitando que se ordenasse a abertura para que as tais “exclusivas” fossem concedidas.
Dunga então rasgou o memorandum na frente do Assessor de Imprensa e como a reclamação vinha diretamente por ordem da Todo-Poderosa Sra. Fátima Bernardes, Prima Dona do jornalismo televisivo, Dunga foi mais uma vez taxativo:
- Diz pro Ricardo que se é o que ele deseja, que coloque essa senhora como treinadora da seleção, eu entrego meu cargo”!!!!Lógico que o técnico permaneceu. Dona Fátima então, sentindo-se “desprestigiada”, alegou um problema de “cordas vocais” e teria tomado o primeiro avião retornando ao Brasil.
Na entrevista coletiva, após o jogo contra a Costa do Marfim, Dunga então resolveu “premiar” os repórteres da rede Globo que lá se encontravam. Pela leitura labial ficou fácil identificar que ele chamou Marcos Uchoa de “chato” e Alex Escobar de “babaca” e “cagão”
E disse tudo. O sr. Marcos Uchoa com aquela cara de diarréia reprimida é realmente um chato de galochas, e o sr. Alex Escobar, metido a engraçadinho e a bobo da corte, é a própria imagem do babaca cagão.
Em razão disso tudo que foi descrito, o sr. William Bonner, absolutamente descontrolado, escreveu do próprio punho o editorial ridículo que foi lido no Fantástico.
Agora à tarde chega a notícia publicada no Portal do Lancenet que a FIFA punirá Dunga pelos fatos ocorridos. A rede Globo certamente está por detrás dessa punição covarde e canalha.
Dunga merece uma estátua em praça pública.
É o primeiro brasileiro vivo a desafiar publicamente a força e o poderio da rede Globo, numa competição de cunho internacional. Leonel Brizola já o fizera antes, mas em assuntos de política interna.
A seleção brasileira de 2010, muito mais que uma seleção, passa a ser o retrato fiel de seu treinador. Que o seu sucesso seja um insulto à podridão que reina nas hostes da emissora do Jardim Botânico.
Dunga mijou na rede Globo por todos nós.